segunda-feira, outubro 22

Capaz



Ele se julgava capaz.

Capaz de fazer o que quisesse, quando quisesse.

Capaz de ter quem quisesse, quando quisesse.


A cada conquista, ele se julgava mais capaz. Era tão, mas tão capaz, que era mesmo capaz de separar amigos, arruinar casamentos, destruir relações. E sempre que isso acontecia, ele se sentia mais capaz de ser capaz. Nenhum ônus para si, só para os outros. E o doce sabor de ter sido capaz.
Ele se sentia tão capaz, que era capaz de nem notar que não era feliz.

E é bem capaz que jamais seja.

Porque no fundo, no fundo, ele é apenas um incapaz...

8 comentários:

Ana Téjo disse...

Ainda bem que um dia, é capaz da gente acordar e ver que essa capacidade toda não passa de um reflexo da incapacidade de nutrir, na própria vida, algo que, graças a Deus, nós conseguimos: um amor de verdade, capaz de durar para sempre.

Lala disse...

Ana: Amém, querida. Mil vezes.

Luiz disse...

É isso, amiga Lala. Permito-me:

INCAPAZ > INCAPACIDADE > Definição: falta de capacidade, insuficiência ou nulidade de qualificação, incompetência, inaptidão, física e/ou intelectual;

Em Direito Civil: situação jurídica daqueles a quem a lei nega aptidão para realizar, por si só, atos da vida civil;

Em Direito Penal: denúncia, seguida de cana ;

Em Direito Popular: PORRADA NELE, para que aprenda!!!

Cláudia disse...

Que erva daninha essa...

Cláudia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luciana disse...

Ai, que pena...
:c(

Lala disse...

Luiz: E com direito a Direito e tudo o mais hein? :-)
Clau: Pois é...
Lu: Dá pena mesmo...

mc disse...

Adorei a foto ilustrando o texto.
Que tristeza saber que o mundo está cheio de gente assim...